Log In

Reviews

The Voice Brasil – Batalhas I

Pin it
72.214285714286
3.6
28
Série: The Voice Brasil
Episódio: Batalha I
Número do Episódio: 2x06
Exibição: 07/11/2013

Estreio no lugar da Gabriela Assmann, mas já quero deixar claro que assim como no The Voice USA entraram Usher e Shakira no lugar do Cee Lo e Christina, que voltaram na temporada seguinte, também estou apenas guardando a cadeira para o retorno da Gabriela. Dito isso, vamos às atrações da primeira noite de batalhas.

O programa começou anunciando os assistentes. E tivemos o retorno de Luiza Possi e Rogério Flausino e as estréias de Maria Gadú (no lugar do Ed Motta) e de Gabi Amarantos (no lugar da Preta Gil). O que vocês acharam da troca? Honestamente, se fosse uma dupla ideal entre os quatro, preferia Ed Motta e Gadú. Mas tenho certeza que a saída da Preta foi também por conta de contrariar o Lulu em suas escolhas (quem não lembra da discussão deles por causa do Gabriel Levan?), e Ed Motta também teve uma discussão com Lulu, por conta dos gritos na batalha entre Breno e Paulo Loureiro. Ou seja, a dica pros assistentes é: não discutam com Lulu Santos.

Mas vamos a segunda temporada e as 8 batalhas do programa de hoje.

The Voice BR - Batalhas I 3

Começamos com uma batalha do time do Lulu. Don Paulinho Lima, que estreou na segunda temporada cantando Let’s Get It On (Marvin Gaye) enfrentou Rodrigo Castellani, que cantou Higher Ground (Stevie Wonder). E a música escolhida para batalha foi Imunização Racional (Que Beleza), do Tim Maia. E o resultado me agradou: Don Paulinho, cheio de carisma, prosseguiu. Mas qualquer um dos dois que fosse escolhido seria bem escolhido, já que o nível dos dois foi muito próximo. Acho que Lulu acabou escolhendo Don Paulinho pelo sucesso que o mesmo faz nas redes sociais – como bem destacou o Thiago Leifert.

Mas Rodrigo Castellani não ficou nem alguns segundos como eliminado e logo os três treinadores “roubaram” o participante, que acabou escolhendo prosseguir no Team Brown. Certamente,uma boa adição ao time do técnico vencedor da primeira temporada.

A segunda batalha, do Team Daniel, foi Gabriela Mattos, que cantou Whole Lotta Love (Led Zeppelin) vs Anne Marie, que cantou Muito Pouco (Paulinho Moska). Considerando apenas as audições, preferia mais Gabriela. Mas nas batalhas – como bem falou Lulu Santos – Anne Marie tomou conta da música, cantou com alma e prosseguiu. Afinal de contas, Máscara (Pitty) é uma música forte, e se o interprete não empolgar realmente não leva.

E a Gabriela, que virou 4 cadeiras na audições as cegas, não fez uma apresentação do mesmo nível da primeira e ninguém a roubou. Fim de programa pra ela.

A terceira batalha da noite foi do Team Claudia Leitte, entre Marcela Bueno – que cantou Jeito de Mato (Paula Fernandes) – e Sam Alves, que não foi escolhido no The Voice USA, mas evoluiu e virou 4 cadeiras aqui no The Voice BR, cantando When I Was Your Man (Bruno Mars). Antes mesmo da batalha começar já apostaria todas as minhas fichas no Sam. E não errei. Mas me surpreendi ao ver todos os técnicos “pegarem” Marcela após a eliminação, já que não gostei muito de vê-la cantando Thousand Years (Christina Perri) e nem gostei tanto dela nas audições. Agora a paulista segue no time do Daniel.

The Voice BR - Batalhas I

A quarta batalha da noite ficou por conta do Team Brown. Lucy Alves – para mim a melhor participante dessa edição -, que cantou Que nem Jiló, clássico de Luiz Gonzaga, batalhou com Khrystal, que nas audições veio com Morô?, de sua autoria. Minhas apostas estavam em Lucy, obviamente. Mas a batalha foi parelha.

As músicas – brilhantemente – escolhidas foram Gostoso Demais e Isso Aqui tá Bom Demais, de Dominguinhos, um medley que funcionou bem demais. ISSO não se vê em The Voice nenhum do mundo, um banho de brasilidade. Impressionante a apresentação das duas, mas Lucy, além de usar muito bem sua beleza e charme, tem um talento gigantesco. Sua voz se assemelha muito a de Elba Ramalho, ela esta pronta, e ganhando (ou perdendo) o programa tem voz para fazer muito sucesso aqui fora. Ela avança, e Khrystal também, já que foi salva no último instante por CL!

ApósLogo depois, pelo Team CL, balharam Maysa Ohashi, que nas audições foi de If Ain’t Got You (Alicia Keys), e Bruna Góes, que entoou Proud Mary (Fogerty). Honestamente, não gostei do número, destoou  muito dos demais. Até porque o original já é difícil (Ain’t no Mountain High Enough, de Marvin Gaye e Tammi Terrell). Em regra não funciona quando os cantores cantam muitos trechos da música junto, e achei que foi o caso, faltou harmonia entre as duas. No final das contas venceu Bruna Góes, merecidamente. E Maysa Ohashi acabou eliminada.

Seguindo o programa, após o desnecessário número entre os técnicos Lulu e Daniel, tivemos um número realmente ruim: a batalha do Team Brown entre Aila Menezes – que cantou A Loba (Alcione) e Marcos Lessa – O Morro Não Tem Vez (Tom Jobim e Vinícius de Moraes – que cantaram na batalha É Hoje o Dia. Confesso que não lembrava do Marcos nas audições, mas achei que ele foi melhor, a música favoreceu sua voz. Além disso, Aila quis fazer muita firula, alongar as notas e foi criticada por isso. Resultado? Acabou eliminada.

Depois, a batalha que confirmou a opinião da Gabi Assmann, de que o Lulu Santos ficou com o time mais forte: Luciana Balby vs Bruna Borges. As duas foram bem nas audições, Luciana com Show das Poderosas (Anitta) e Bruna com Nada por Mim (Paula Toller). Elas batalharam ao som de Luz nos Olhos, de Nando Reis. Luciana foi um pouco melhor e levou a batalha. Achava que Bruna ia ser “pega” por algum outro técnico, mas  ela acabou sendo mesmo eliminada.

E coube ao Team Daniel a última batalha da noite. O embate foi entre Ana Lonardi – Explode Coração (Gonzaguinha)- e Luiza Lara. Pra mim foi outra batalha equilibrada, e dessa vez ao som de Chico Buarque. Luiza já havia cantando Chico na audição as cegas (Sobre Todas as Coisas) e poderia se favorecer. Mas não foi isso que aconteceu, já que é Ana Lonardi que segue no Team Daniel. O fato é que qualquer uma das duas que passasse não seria nenhum absurdo.

Pra encerrar o programa, mais um número desnecessário entre os técnicos, dessa vez entre CL e CB.

Resumo da noite? Na fase das batalhas o programa evolui muito e podemos esperar muito mais na semana que vem. Ainda assim, senti falta de mais palpites durante os ensaios, com críticas e elogios dos técnicos, e dos técnicos palpitando/criticando escolhas dos outros técnicos. Tudo é válido pra dar uma movimentadinha no programa.

Séries citadas:

Viciado em séries desde 1998, quando gravava os episódios em fitas cassetes para assistir depois (estou ficando velho). Minhas séries prediletas são: Battlestar Galactica, Boston Legal, Ally Mcbeal, Quantum Leap, Dexter, X-Files, GoT, TWD, Seinfeld, dentre outras! Atualmente sigo buscando séries que forneçam algo mais do que um passatempo de qualidade, ainda que para tanto precise recorrer a séries antigas que não vi.

blog comments powered by Disqus

Log In or Create an account